Met Gala 2019, mais que um redcarpet

Met Gala 2019, mais que um redcarpet

O tema era Camp: apreço pelo não natural, pelo artifícial, o exagero e estilização. Esse exagero precisa vir de uma paixão, de uma sensibilidade descontrolada.

O curador do Costume Institute, Andrew Bolton, afirmou que o ensaio de Sontag é oportuno para o momento cultural e político. O jornalista e professor da Universidade Federal de Pernambuco, Thiago Soares, escreveu que “numa época profundamente autorreferente, performática, repleta de simulações e teatralizações através do que se chama de vida midiática nas redes sociais, o camp volta a fazer sentido”.

Acredito ser muito importante pararmos de ver a moda de forma superficial e olharmos de forma profunda o momento que vivemos e retratamos, como indústria.

Trazer o absurdo e o extravagante que vivemos mundialmente, para o evento de moda comprovadamente mais midiático nas redes sociais, deve/precisa ser muito mais que roupa. É o retrato do tempo que vivemos e a reflexão sobre isso irá gerar, sim, uma moda mais consciente e com a profundidade que, de fato, deveria ter.

E se podemos ser provocadores, belos e exuberantes… por quê não?