LFW abre portas para a era teatral

LFW abre portas para a era teatral

Em Londres, o Inverno 2016 trouxe cenários e performances espetaculares. Essa tendência destaca uma nova era nas semanas de moda, mais teatral e lúdica.

erdem-fall2015

Na marca Erdem, sempre permeada por trabalhos artísticos, a instalação ‘The Collector‘ de Robin Brown foi o ponto de partida para o desfile, trazendo o universo pessoal de um colecionador famoso em Paris no final dos anos 60.

O conceito foi transformado em uma fusão da aura de mistério do passado com a irreverência contemporânea. E, apesar de admitir a inspiração em algumas musas do cinema, o estilista acredita que o mais importante em sua apresentação é a atmosfera criada.

roksanda-rf15-0456

Peter-Pilotto-Herbst-Winter-2015-16-opengraphImageWide-b0793f2f-369678

Seguindo este pensamento performático e sem amarras, talentos em ascensão como Roksanda e Peter Pilotto também apostaram em um design marcante nas passarelas para traduzir os temas de suas coleções.

A visão sobre como o meio em que vivemos reflete no vestuário gera reflexões importantes, especialmente em relação ao limite entre a individualidade e o pertencimento a um grupo ou à sociedade como um todo.

02a9379baabbd360ddf2ae80f6aa05979fe07c35

Outra exibição importante para esta promessa de revolução dos padrões foi a exibição de Giles Deacon, com um casting de peso – Andreja Pejic, Kendall Jenner e Erin O’Connor – que se expressou através de movimentos delicados e dramáticos, interpretando a proposta arrojada do designer.

Fonte: I-D